Google Translate: fr | ru | cn | se | jp

Natura Algarve

Aves e rotas migratórias

02.09.2008 // Natura Algarve


Egretta garzetta Os primeiros naturalistas, durante longos anos se questionaram acerca do aparecimento e desaparecimento sazonal de aves, com a incerteza se elas hibernavam ou simplesmente migravam. Sabemos agora que todos os anos, a cada Primavera e cada Outono, milhares de aves preparam-se dar um enorme evento de larga escala: as migrações.

Anualmente milhares de aves se movimentam entre os países da Europa e Ásia para África, assim como centenas de espécies se movimentam entre a América do Norte e a zona dos trópicos. De modo a permanecerem e se reproduzirem em locais amenos, as aves voam longas distâncias durante o início da Primavera para Norte, regressando aos locais de invernada, nas terras mais a Sul.

As migrações ocorrem em resposta a alterações de disponibilidade de alimento, habitat e de condições climatéricas. Ao contrário dos períodos de latência e de hibernação, a migração permite uma actividade anual com a vantagem de explorar novos habitats com diferentes oportunidades de alimento e de condições climatéricas favoráveis.

O porquê das aves migrarem ainda é uma grande questão no mundo da ornitologia, pois o dispêndio energético nesta actividade é enorme. De modo a diminuírem este gasto de energia, as aves habitualmente deslocam-se em grande bandos e com paragens regulares de modo a recuperarem energia.

Assim, porque o Outono se aproxima e a Ria Formosa é um local de repouso e de alimentação eleito por dezenas de espécies migratórias, nomeadamente as Limícolas, começa a ser altura ideal para um dia dedicado à observação de aves.

Junte-se a nós!

O seu comentário

topo da página