Google Translate: fr | ru | cn | se | jp

Natura Algarve

Actividade Natura Algarve-SPEA

26.05.2008 // Natura Algarve

Faro, 24 de Maio de 2008

Um dos nossos objectivos é estabelecer parcerias com entidades e instituições ligadas à Natureza e com as quais possamos aprender e dar aos nossos visitantes o melhor da Ria Formosa. Assim, juntámos um grupo de apaixonados por aves sócios da SPEA (Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves) e partimos numa actividade totalmente dedicada à observação de Aves.

spea.jpgNavegando pelos canais secundários de Faro e de Olhão, espreitando pelos esteiros da Ria Formosa, foram várias as espécies de aves avistadas. Milherangos, fuselos, colhereiros, cegonhas, ostraceiros, seixoeiras, rolas do mar, pilritos, corvos marinhos, garças-reais, estiveram na lista das espécies observadas. Houve ainda a oportunidade de sair da embarcação para explorar um dos cabeços de areia e ir ao encontro a um bando de aves que se alimentava e repousava nos baixios de águas límpidas da Ria. Após o almoço na Ilha da Culatra, onde se experimentou a primeira sardinhada do ano, exploramos a vegetação dunar e possíveis locais de nidificação, no trilho existente na Ilha.

O ponto alto das nossas observações foi aquando do avistamento de uma gaivota de Audouin (Larus audouini). Trata-se uma gaivota cujo estatuto de conservação está definido como “quase ameaçado” pela lista vermelha do IUCN. De tamanho um pouco inferior ao das suas congéneres gaivota argêntea e gaivota de asa escura, destaca-se pelo seu bico vermelho com uma risca preta na extremidade. A sua plumagem é de tom cinzento-prateado esbatido no dorso.

A gaivota de Audouin é uma espécie nidificante confinada ao Mediterrâneo, havendo populações registadas no Chipre, Espanha, França, Grécia, Itália e Turquia. Em 2002 estavam apenas registados 2 casais a nidificar na Ria Formosa e 8-12 casais em Castro Marim. Esta espécie sofre de vários tipos de ameaças ao seu habitat e sítios de nidificação, e daí a preocupação em salvaguardar estes locais. A pressão turística nos locais de nidificação, a recolha de ovos, a predação por parte de animais domésticos, nomeadamente cães e gatos, são factores que contribuem para o baixo sucesso de reprodução da espécie. Por outro lado, existe a competição pelos locais de nidificação e alimento com a gaivota-de-patas-amarelas (Larus cachinnans).

Este é apenas um exemplo de um motivo de preocupação com a fauna existente em locais húmidos e da importância que eles podem ter para as várias espécie de aves, especialmente as de estatuto ameaçado. Esperamos poder continuar a sensibilizar os nossos visitantes e população em geral para estes casos e estimular as boas práticas ambientais. Conservar as zonas de nidificação, assegurar o habitat de reprodução, alimentação e descanso, são exemplos de acções que promovem a continuidade das rotas migratórias e o sucesso das espécies.

O seu comentário

topo da página